Feeds:
Posts
Comentários

FARMACOECONOMIA

A farmacoeconomia é uma disciplina nova cujo corpo de conhecimentos está pautado na economia da saúde – especialidade surgida nos países desenvolvidos no período pós-guerra, como uma estratégia para melhorar a eficiência dos gastos no sistema de saúde.

Ela pode ser definida como sendo a descrição e a análise dos custos da terapia farmacêutica para os sistemas de assistência a saúde e para  sociedade.

Ela identifica, mede e compara os custos e conseqüências de produtos e serviços farmacêuticos.

A farmacoeconomia representa um valioso instrumento de apoio para tomada de decisões, que envolvem avaliação e direcionamento de investimentos baseados numa distribuição mais racional de recursos, permitindo aos profissionais que atuam n área da saúde, conciliar necessidades terapêuticas com possibilidades de custeio individual, seja das empresas provedoras de serviços ou de sistemas de saúde.Isto tem permitido incorporar um novo critério – o econômico – na escolha de alternativas terapêuticas.

Assim, a função da farmacoeconomia consiste em identificar, medir e valorizar os custos e conseqüências das alternativas terapêuticas partindo do juízo de valor de que os recursos devem ser preferencialmente utilizados na produção de bens e serviços que geram maiores ganhos de saúde, em relação aos seus respectivos custos, observando deste modo o princípio normativo da eficiência econômica.

A importância dos estudos nessa área provém não de justificativas acadêmicas ou políticas, mas da constatação de que os gastos com saúde vêm crescendo em ritmo acelerado em âmbito mundial, preocupando usuários, governos e a sociedade como um todo.

Ela nos ajuda a responder perguntas como: qual a melhor droga para um determinado paciente? Qual a melhor droga para uma indústria farmacêutica desenvolver ou para um país investir? Quais drogas devem ser incluídas num protocolo médico?  Qual o custo por qualidade de vida por uma droga? A qualidade de vida do paciente irá sofrer uma melhoria pela adoção de uma determinada terapia? Quais são os resultados para o paciente das várias modalidades de tratamento?

A indústria farmacêutica é um dos setores da sociedade que mais tem incorporado os estudos farmacoeconômicos como suporte nas decisões de investigar e desenvolver novos medicamentos.

Eles ajudam na definição de estratégias de marketing, auxiliam na definição de preços, na inclusão de medicamentos em formulários e recomendações terapêuticas junto ao Ministério da Saúde ou agencia de vigilância sanitária.

Outra finalidade desses estudos é auxiliar as comissões de farmácia e terapêutica existentes nos serviços públicos e hospitais, na decisão de incorporar medicamentos nos guias farmacoterápicos.

Estas comissões são responsáveis pela elaboração e manutenção atualizada de guias de medicamentos.

A aplicação clínica dos estudos farmacoeconômicos pode, também, beneficiar pacientes, profissionais envolvidos na assistência e a sociedade como um todo, incrementando a qualidade da assistência prestada e racionalizando os recursos.

á os planos de saúde têm aplicado os estudos farmacoeconômicos na prática de gerenciamento da doença, que significa estudar quais as doenças crônicas e opções de tratamento que permitem aumentar a sobrevida e  reduzir os custos globais.

O campo de pesquisa de farmacoeconomia está em evolução e torna-se cada vez mais necessário na avaliação de tecnologias em saúde.

O objetivo de uma avaliação econômica não dever ser cortar custos e sim usar os recursos escassos de forma mais eficiente para melhor qualidade no cuidado à saúde da população e neste sentido a farmaconomia é um instrumento indispensável a todos os profissionais envolvidos na área da saúde.

Giácomo Balbinotto Neto

(Professor de Economia do PPGE/UFRGS e pesquisador do IATS/UFRGS)

Vocês receberam textos de caráter científico contendo exemplos de avaliações farmacoeconômicas. Busquem mais referências do tipo e compartilhem no fórum!

Marketing farmacêutico

Você tem dúvidas sobre o quanto que as propagandas de medicamentos e a forma com que são divulgados mudaram nos últimos anos? Veja os vídeos e comente!

Na mesma linha…

ah, se você for maior de idade, procure a propaganda do Anemokol

E umas mais recentes…

 

 

 

 

Pessoal, vejam o vídeo que explica o fundamento da realização da curva ABC para gestão de materiais.

Após, citem exemplos de produtos que poderiam se encaixar nas 3 classificações, por meio dos comentários!

 

 

Abertura de Farmácia

E a concorrência? Como determinar quem são, onde vivem, o que fazem, como se reproduzem????

 

Dica:

Além de avaliar o tamanho do mercado consumidor (clientes potenciais) é preciso avaliar o tamanho da concorrência. Uma sugestão é usar o Google Maps, digite um CEP da região onde você pretende´montar a farmácia, imprima ou salve o mapa e divirta-se marcando nele a localização de cada concorrente, desta maneira fica bem mais fácil visualizar e analisar se a cidade é ou não uma boa opção para montar a farmácia.

Visite seus concorrentes, verifique os produtos que eles vendem e o que fazem para fidelizar seus clientes, quais os serviços agregados aos produtos (entrega em domicílio, prazo de pagamento, medir pressão, etc.). Avalie tudo que eles fazem e veja como você pode fazer melhor.

desafio: Procurar e postar dicas para a abertura de farmácia de acordo com os temas trabalhados em sala de aula!

Mãos à obra!

 

 

Gestão da qualidade

 

Hoje em aula falávamos sobre o tema gestão da qualidade. Em última instância, qualquer sistema de gestão da qualidade tem por objetivo fidelizar o cliente, mantendo-o satisfeito com nossos produtos e serviços. E nada afasta mais um cliente do que não ter suas necessidades atendidas em sua plenitude, ainda mais quando a causa deste fracasso se deve à nossa falta de organização. ORGANIZAÇÃO, é a palavra-chave do sistema de gestão 5S, que foi bastante discutido em aula. Hoje minha postagem é um pouco diferente, pois ela é composta por um vídeo, que demonstra o quanto a falta de organização pode ser prejudicial no nosso dia-a-dia. Culpamos a falta de tempo o tempo todo! mas o que nos falta mesmo é organização. E temos provas disso sempre que vemos aquele colega, professor, amigo, que tem 1001 atividades cumprindo todas (ou quase) enquanto que outros, com poucas atividades não tem o mesmo desempenho. Meu desafio de hoje é que os grupos busquem vídeos que abordem  outras características de sistemas de gestão da qualidade. Podem ser vídeos prontos, ou vocês podem criar os vídeos, mas se ORGANIZEM! O prazo é de uma semana!

 

 

 

De olho no futuro, a biolab tem como foco os medicamentos inovadores, incluindo os de origem biológica. Com parcerias internacionais, atua especialmente na produção de medicamentos que atendam as áreas de  Cardiologia,  Ginecologia, Dermatologia, Gastroenterologia, Reumatologia, Ortopedia, Pediatria, dentre outras.  Produtos como o Photoprot, fotoprotetor com FPS 100 desenvolvido com nanotecnologia (parceria com a UFRGS) e o Vonau Flash, pioneiro no uso da tecnologia da dissolução oral imediata (parceria com o Departamento de Farmácia da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP), fazem parte do atual portfólio da Biolab, composto por mais de 50% de produtos inovadores em sua forma farmacêutica, composição ou molécula.

 

Saiba mais sobre esta empresa farmacêutica clicando aqui! 

 

Agora é sua vez: Encontre exemplos de empresas empreendedoras, do ramo farmacêutico, que foram capazes de perceber nichos de mercado e produzir produtos e serviços que atendessem às novas demandas!

 

 

A tarefa da semana consiste em buscar na internet, a missão, valores e responsabilidade social de empresas do ramo farmacêutico!

A minha contribuição vem do Hospital Israelita Albert Einstein:

Missão

Oferecer excelência de qualidade no âmbito da saúde, da geração do conhecimento e da responsabilidade social, como forma de evidenciar a contribuição da comunidade judaica à sociedade brasileira.

Visão

Ser líder e inovadora na assistência médico-hospitalar, referência na gestão do conhecimento e reconhecida pelo comprometimento com a responsabilidade social.

Valores

Mitzvá, Refuá, Chinuch e Tsedaká, ou seja, Boas Ações, Saúde, Educação e Justiça Social. Foram esses os preceitos judaicos que motivaram médicos da comunidade judaica a fundar a Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein há mais de 50 anos. Somados aos valores organizacionais (Honestidade, Verdade, Integridade, Diligência, Competência e Justiça), eles norteiam as atividades e os colaboradores da instituição.